Voltar ou não a tomar remédio?

ansioliticos

Voltar ou não a tomar remédio? Essa pergunta volta sempre que as coisas começam a ficar perturbadoras na minha mente. Ultimamente, elas estão. Perda de peso, grandes decepções e a tristeza que era para ser comum, vira algo dolorido demais de suportar. E foi num desses episódios que me vi não suportando mais estar em mim, em estar com a minha vida (isso será falado em outro post). Aí não tinha mais pra onde correr, era preciso cuidar disso, antes que ficasse pior.

Pois é, eu relutei, esse ano eu não tava com nenhum medicamento, estava suportando bem essa batalha que é viver. Mas não temos controle de nada mesmo e o cérebro de uma pessoa depressiva pode ir do céu ao inferno em minutos e esses pensamentos estavam me preocupando. Além disso, as dores musculares, o sono ruim e a falta de apetite estavam sinalizando que algo estava errado.

A gente sempre acha que é forte demais, as pessoas sempre acham que a gente é forte e que remédios não são necessários, mas como eu já falei uma vez aqui, se você não está dando conta sozinho, não tem problema pedir ajuda. Foi o que eu fiz. Marquei consulta com o psiquiatra que já me atende e falei que estava acontecendo. Ela pediu que eu não me assustasse, que ele sabia o impacto que determinadas decepções tinham sobre mim e que ele iria me ajudar.

Estou medicada com Depakote e Quetros. O Depakote já tomei antes, é um ansiolítico e eu fiquei super bem com ele, não tive nenhum efeito colateral. Já o Quetros é para eu dormir e alivia os sintomas de depressão, esse é novidade para mim, mas eu dormi como um anjo noite passada e não senti nada de efeito colateral. Ainda bem porque isso é sempre algo que me preocupa.

Confesso que, por muitas vezes, pensei em não ir ao psiquiatra. Primeiro porque estava sentindo que voltar aos medicamento é como se tivesse afirmando que sou fraca e que não aguento meus problemas, segundo porque sinto que andei dois passos com trás no meu tratamento. Além disso, por mais que eu seja bem resolvida quanto ao uso deles, ainda me sinto olhada de maneira diferente quando falo que tomo remédios psiquiátricos. As pessoas me olham torto, é como se eu fosse incapaz e isso machuca porque acabo tendo que contar o motivo que não vou beber bebida alcoólica, por exemplo.

Enfim, só quero dizer que se você está sofrendo, não está dando conta sozinho e tem como pedir ajuda, peça. Não é vergonha nenhuma tomar remédio, isso não é sinal de fraqueza. Isso é ser forte! Você é forte porque está cuidando de você, você está se dando chances de prosseguir, então, isso é ser forte. Não tenho vergonha, peça ajuda.

Bj!

 


Publicado em: 4 de agosto de 2017

1 Comentário


  1. Talice disse:

    Poxa thay, não se sinta fraca de jeito nenhum !! Com certeza voce é muito mais forte que pensa !! Recomece…a vida é um grande recomeço sempre !
    Eu tenho vivido “bem” saído, feito coisas que há tempos não fazia…mas as vezes tenho uns pequenos principios de ansiedade…crises não mais. Mas o rémedio tem me trazido um efeito colateral q tem me incomodado que foi o aumento de peso. Nada é perfeito. Pretendo voltar na médica para ver isso.
    Muita sorte para nós !!


Deixe o seu comentário!