Autoestima x Crises – Dicas para te ajudar

Pinterest

Dentre todos os emails e mensagens que recebo, sua grande maioria é de mulheres. E em quase todas as mensagens, uma coisa sempre me chama atenção: todas mencionam sobre como a autoestima baixou depois dos transtornos psicológicos ou depois das crises de depressão. Muitas me relatam como perderam a vontade de cuidar de si, de como a vaidade e a autoestima se foram. Pois bem, vamos falar sobre isso, né?

Eu tive minhas primeiras crises em 2012, como já disse aqui. Naquela época, eu não sabia o que eu tinha, mas evitava me arrumar porque achava que iria vomitar na roupa durante uma crise, já que meus primeiros sintomas eram náuseas. E aí, eu evitava sair. Evitando sair, eu não me arrumava. Nessa época, as crises eram amenas, suportáveis, mas já me causaram um muito mal, principalmente na forma como eu via.

Já em 2015, quando as crises vieram com toda a força, eu simplesmente me entreguei. Por meses, eu não usava maquiagem, não me arrumava, qualquer roupa tava bom. Meu cabelo caiu muito nessa época, menstruação desregulou totalmente, eu emagreci 8kg e isso se refletiu nas roupas que não me serviam, no rosto sempre abatido. Eu me olhava no espelho e não tinha vontade de sair na rua, me achava feia em tudo. Foi um período em que os antidepressivos afetaram minha libido, então eu nem transava, isso me fazia sentir menos desejável, tanto porque eu não tinha vontade quanto por minha aparência pouco atraente.

Lembro que uma amiga, na época, me incentivou a comprar uma roupa nova, mas eu confesso que tinha zero vontade de fazer isso. Além disso, eu vivia me comparando com outras mulheres e isso fazia a autoestima que já não era boa, ir por água abaixo. Foi um período difícil demais.

Mas se naquela época eu tivesse tido mais atenção e mais informação, poderia ter feito pequenas coisas pra me ajudar nesse processo. Vou listar aqui algumas coisas que poderiam ter me ajudado naquela época e talvez ajudem a vocês também:

Ilustração: Nath Araujo

1 – Mude o visual – eu sei que não dá vontade de nenhuma de fazer qualquer coisa e que nada fica bom, mas acredite, até fazer a unha ajuda a gente a se sentir melhor. Se você não conseguir ir ao salão, peça para alguém ir até sua casa. Pintar ou cortar o cabelo, fazer a unha, depilar, fazer a sobrancelha, hidratar o cabelo, etc, isso tudo pode ajudar. Tente fazer, mesmo sem ânimo.

2 – Compre uma roupa nova – nem que seja num brechó que é baratinho, mas se dê uma roupinha nova. Mesmo que você ainda não consiga sair de casa, use sua roupa nova em casa, no lugar onde você se sinta segura.

3 – Coma algo que você goste muito – Sabe aquelas comidas que você ama, mas sempre deixa pra depois? Nada melhor do que se agradar com comida quando você está sofrendo com crises. Eu lembro que sentia muito enjôo, mas quando amenizava, eu pedia para comprarem algo que eu gostava muito.

4 – Assista filmes engraçados – Sério, isso foi uma das coisas que eu sei que eu deveria ter feito, mas não fiz, não sei o motivo. Eu amo filmes, séries, mas na época das crises depressivas e de pânico, eu só chorava e ficava pensando em quando iria melhorar. Mas sei que quando a gente tira o foco dos sintomas um pouco, nos dar forças para continuar.

5 – Viaje – Esse sempre foi um dos meus maiores medos: viajar. Eu morria se saísse sozinha, mas fiz pequenas viagens sempre acompanhada e fui pra onde me sinto mais feliz, pra perto do mar. Se você conseguir, faça isso, para um lugar onde você se sinta confortável e na companhia de alguém que entenda o que você está passando.

Gente, lembrando que isso são apenas dicas para tornar a recuperação menos dolorida. O caminho do real tratamento é acompanhamento médico, isso não substitui essa dicas.

Bem-vindo, 2018. Que seja de saúde para todos nós! <3


Publicado em: 8 de janeiro de 2018

0 Comentários



Deixe o seu comentário!